Sintomas da crise econômica, tentativa para atrair jovens consumidores, ou os dois, o fato é que o mundo fechado e elitista do champanhe francês está mudando e adotando técnicas comerciais totalmente populares.
Sabem os distribuidores de chocolates, cafés ou sodas que encontramos nas estações do metrô? Que tal um distruibuidor de champagne?
Moët et Chandon testou em novembro 2013 um distribuidor de champanhe e o local escolhido para o teste foi Selfridges, na Oxford Street em Londres. São garrafas pequenas de brut imperial blanc, de 200ml, decoradas com mini cristais Swarowski, vendidas por 17.99 libras.
Ficamos sabendo que esta máquina automática não distribui o champanhe como uma vulgar latinha de coca cola. As garrafinhas estão carinhosamente guardadas em temperatura correta, o braço automático que a busca na prateleira é revestido de ouro e tudo foi feito para que a robótica manipule o champagne com grande precisão.
Pagamos, apertamos o botão, retiramos a garrafinha e a abrimos. O passo seguinte, neste ano de 2014, é introduzir o champanhe bebido diretamente no gargalo!