Foto: tempsreel.nouvelobs.com

Feministas da Femen com seios nus invadem a Notre Dame no dia da apresentação dos novos sinos da catedral. Objetivo: festejar o adeus de Benoît XVI e a nova lei que garante o casamento homossexual.

E então? E então um artigo do Huffington Post resume perfeitamente a situação.

A primeira reação é negativa. Porque feministas com seios de fora invadem uma catedral de um Estado laico? Se fosse um Estado onde o poder religioso se confunde com o político, uma manifestação no interior de um local de culto seria pertinente. Mas na França? Nunca. Puro desrespeito e provocação de mal gosto.

No dia seguinte a extrema direita condena o ato, a esquerda idem, o prefeito de Paris também. O diretor da catedral transforma a manifestação em caso de polícia com processo por ultraje à símbolos sagrados.

A Femen  é um movimento que luta pela igualdade homem/mulher. Como tal ele é essencialmente antirreligioso, contra dogmas e superstições. Contra a milenar opressão das mulheres pelas instituições religiosas. Suas ações podem provocar e chocar.

Mas nós precisamos mais do que nunca dos irreverentes para equilibrar os fanáticos sejam eles muçulmanos, judeus ou católicos. Sem eles a laicidade não seria a justa medida. Sem esta invasão não estaríamos aqui tentando entender um ato, entender estas mulheres (corajosas), não estaríamos relembrando quando e como fomos oprimidas.