Por Penélope do blog Sob o Céu de Paris
Especialmente nas décadas de 60 e 70, quando estava mais na moda no nosso país, a música francesa influenciou muito as trilhas da publicidade brasileira. Tenho notado, no entanto, que nos últimos três anos, esta influência voltou com força total e as músicas com um toque francês tem aparecido com mais frequência nas nossas propagandas. Posto abaixo alguns exemplos deste fenômeno.

Propaganda do Nokia Lumia (dica da leitora Larissa Pompeu).

Tintas Coral.

Universidade Fumec.

Picadilly: a marca parece adorar músicas francesas, porque lançou também esta outra propaganda no ano seguinte.

Azaléia.

Além destas propagandas que encomendam o que eu chamo de “músicas francesas do Paraguai” (compostas por produtoras de áudio brasileiras) para ilustrar seus comerciais, tem também as grandes marcas internacionais que tem dinheiro para bancar os direitos autorais de músicas reais e pagar por trilhas de grandes artistas franceses, como os exemplos abaixo:

Oi TV (com For me, Formidable, de Charles Aznavour e interpretada por cantor não identificado).

Stella Artois (com a música Ne Me Laisse Pas L’aimer, cantada por Brigitte Bardot).

Macbook Air (propaganda de lançamento mundial, com a canção New Soul, da franco-isrealense Yael Naim).