A alfândega francesa lançou um novo procedimento para o recebimento do desconto dados aos turistas. Para os que não sabem, este desconto se chama détaxe. No momento da compra, em uma mesma loja e no mesmo dia, de mercadorias no valor superior a 175 euros, o vendedor fornece dois documentos que devem ser assinados por ele e  pelo comprador. No dia do embarque, o turista deve apresentar no guichê da alfândega do aeroporto as mercadorias compradas e os documentos.

A alfândega carimba os dois documentos e um deles o turista envia pelo correio ao vendedor.

Este ano, a alfândega instalou uma nova modalidade de recebimento da détaxe.


Na zona de embarque dos aeroportos Charles de Gaulle e Orly Sud, antes do check-in, você apresenta o código barra do documento descrito acima  ao leitor azul situado perto do guichê da alfândega.

Se seu documento for reconhecido –  tela azul – você faz o check-in e entra na zona internacional.

Se ele não for reconhecido – tela vermelha – você tem que se apresentar no guichê da alfândega para recuperar o valor.

Já na zona internacional, para os que tiveram o documento reconhecido, apresenta-lo de novo ao leitor vermelho situado após o controle da polícia.

Aqui também o documento pode ser reconhecido ou não.

Se ele for reconhecido o turista não precisa enviar o documento pelo correio ao vendedor e receberá seu desconto por cheque via correio ou crédito em conta bancária.

Mas se o documento não for reconhecido, a situação se complica muito. A partir deste momento, para recuperar o valor da détaxe, o turista deve enviar uma carta à alfândega francesa acompanhada de alguns documentos, entre eles um visto da alfândega brasileira referente a entrada da mercadoria no Brasil ou um atestado dado pelo consuldado da França.

Conclusão: melhor esquecer estas maquininhas infernais e passar pelo guichê da alfândega.

Maiores explicações no site da douane francesa.