Sueli Vilas Boas e seu e marido. Uma pausa gourmande no Fauchon.

Estive a semana passada no Paradis du Fruit e percebi que a cor rosa Barbie, do Fauchon, está inspirando os decoradores parisienses.

Enquanto esperava meu pedido pensei na foto enviada pela querida leitora Sueli, na maneira como o rosa virou a cor atrativa do momento  e me perguntei se realmente a Barbie teve força suficiente para lançar a moda ou se o Fauchon sempre foi rose bombom, como dizem os franceses. Aproveito para escrever um post sobre o Paradis du Fruit, uma cadeia de restaurantes com ótimos sucos de frutas, saladas honestas e boas opções de pratos quentes. Afinal de contas, depois de citar o Meurice e o Fauchon, já estava na hora de voltar aos preços mais razoáveis.

O Paradis du Fruit quer ser um restaurante na crista da onda, dentro do movimento “vida saudável” sem sodas nem colesterol.  Pedimos dois sucos que estavam realmente deliciosos: iogurte/pêra e manga/ laranja/abricot.

Em seguida, uma tartine de salmão defumado, creme de queijo de cabra e rodelas de pepino. Para esquentar um pouco a alma,  uma sopa de mâche. Algumas explicações. Tartine quer dizer uma fatia de pão. Quando quiserem pedir pão com manteiga, e nada melhor do que pão com manteiga aqui na França, peçam uma tartine beurrée. Mâche é uma folha gostosa, degustada crua em saladas ou preparada como cremes e sopas.

Pedimos também uma salada acompanhada de sanduíches e patês.

Uma grande salada, que vale uma refeição, custa 14 euros. Uma opção de prato quente fica em torno de 12 euros. Os sucos custam caros, 6 euros, se comparados com os preços dos pratos. Mas as frutas na Europa custam caro mesmo.

Estes restaurantes vivem lotados e aqui eu estava no 30 boulevard des Italiens, perto da Opera Garnier. Conheço também o 47 avenida Georges V, ao lado dos Champs Elysées. Eles estão abertos todos os dias das 12.00h até as 02.00. Informação importante para os turistas brasileiros que costumam encontrar os restaurantes fechados às 15.00h ou às 23.00h.

www.leparadisdufruit.fr