Porque será que os turistas compram lembranças de viagens?

Esta é a questão chave de uma exposição que está acontecendo atualmente em Barcelona, no museu Montcada.  A exposição reúne peças representativas das grandes cidades turísticas. Peças fetiches que mostram, imediatamente, as suas origens.

Gosto muito de caminhar na natureza. Na volta dos meus passeios nas montanhas e praias da Córsega, chego a minha casa com os bolsos e a mochila cheios de pedras, galhos secos, sementes, flores secas. Objetos que me chamaram a atenção pela forma ou pela cor. Com o passar do tempo estas coisas simples se transformam em um condensado de recordações.

Como não podemos “pegar” coisas no meio urbano, acabamos comprando objetos ingênuos, como por exemplo uma esponja em forma de salaminho, com uma etiqueta  pura esponja e achamos graça da relação com puro porco. Com o tempo ela vai virar um condensado de recordações de uma viagem a Paris e de um determinado dia quando compramos esta lembrancinha na loja do museu Centre Pompidou.