Os museus franceses quase não expõem mais restos humanos ou corpos mumificados. A tendência é a devolução destes restos aos países de onde são originários.

O Senado francês acabou de apresentar uma proposta de lei que sugere a restituição, à Nova Zelândia, das cabeças Maori mumificadas e coletadas por franceses no século XIX. O argumento para esta devolução é que o retorno destes restos humanos, à terra de seus antepassados, seria um ato de respeito para com tradições e rituais de sepultamento ancestrais.

O museu do Quai Branly possui oito cabeças mumificadas que não são expostas ao público.