Se nós nos fiássemos às aparências da cultura francesa poderíamos chegar à conclusão que as mulheres deste país são livres e soltas. Que atingiram uma grande e confortável segurança pessoal. Que a sociedade francesa é liberal e quase libertária nos temas relativos ao sexo.

Teria vários exemplos para ilustrar o que digo. Mas escolho o mais recente. Vejam estes dois posters acima. O primeiro faz referência ao filme Les Bal des Actrices, que já foi assunto para um artigo recente. Publiquei fotos do filme mas não quis publicar a foto do poster e explico porque. Na semana passada já havia publicado um artigo sobre os sites chics sobre sexo em francês. Aliás outro sinal da esquizofrenia. Como minhas leitoras não se pronunciaram, com uma única exceção, cheguei à conclusão que o assunto é delicado para as brasileiras. Evitei publicar a foto do poster para, digamos, mudar de assunto. Mas não resisto, sou uma recidivista.

O poster  nos mostra todas as grandes artistas francesas que participaram do filme nuas.

O segundo poster é uma espécie de paródia do primeiro. Blogueiras francesas entraram neste jogo e reproduziram a mesma pose do poster do filme. Só para que fique claro, estas blogueiras são sérias e seus blogs estão entre os melhores da França. Nenhum destes blogs é sobre sexo.

Imaginem se as blogueiras brasileiras concordariam com uma brincadeira desta. Nunca.

A esquizofrenia francesa está na discordância entre esta aparência de liberdade e a realidade social. Vivo em imersão total nesta sociedade para poder afirmar que elas não são livres como querem aparentar.

Ezra Suleiman, professor americano e grande admirador da França, acabou de escrever um livro que se chama Schizophrénies Françaises, onde analisa com humor fino contradições como acabo de assinalar. A pátria da Liberdade, Igualdade e Fraternidade vive de uma aparência e de uma auto ilusão.

Ezra Suleiman. Schizofhrénies Françaises, Grasset, 2008.