A pista islâmica foi afastada. A análise do texto escrito enviado à imprensa, avisando que os explosivos estavam no banheiro do Printemps, é interessante. De acordo com a polícia francesa no texto não havia referências ao Islã nem ao Djihad. As palavras utilizadas faziam parte de análises marxitas da sociedade. O texto chegou pelo correio.

Nos textos enviados por grupos islâmicos há sempre referências ao Islã e ao Djihad e os comunicados são enviados por internet.

A polícia agora trabalha com duas hipóteses.

Ou foi a ação de um homem isolado, uma pessoa com problemas com o Printemps. A lista de empregados que foram mandados embora, pessoas insatisfeitas, fornecedores rancorosos está sendo estudada. Ou foi um pequeno grupo residente na França, talvez um pequeno grupo de extrema esquerda.

O Ministério do Interior reforçou a segurança em torno dos grandes department stores e na proximidade das estações ferroviárias. Medidas de segurança suplementares serão introduzidas nos aeroportos.