Gosto tanto desta cidade que reluto apresentar os aspectos negativos. Por isto nunca falei da  mendicidade, do número elevado de pessoas sem o mínimo necessário para a sobrevivência.  Vivendo aqui desde o final dos anos oitenta, acompanhei o aparecimento dos SDF.

Abro um parêntese, os franceses adoram siglas. Ou então eles se sentem melhor escondendo a realidade atrás de duas ou três letras. SDF quer dizer sem domicílio fixo, traduzindo sem teto.

Sem teto acampado nas ruas de Paris.

Sem teto acampado nas ruas de Paris. Foto de I..C..U.. no Flickr

Paris e seus clochards, os antigos bêbados que viviam na rua,  é um quadro do passado. Hoje o que vemos é um vai e vem de imigrantes mendigos, europeus ou não, vivendo nas ruas de Paris ou nos bosques que a circundam. Quando chega o inverno esta população se transforma em matéria na mídia. Desde o início dos dias frios quatro infelizes que moravam em barracos no Bois de Vincennes morreram de frio e cansaço.

Família se usa abrigo de ônibus como moradia, em Paris.

Família se usa abrigo de ônibus como moradia, em Paris. Foto de Alain Bachellier, no Flickr

Durante o dia o boulevard Hausmann é o centro do consumo francês. Vitrines maravilhosas nos departments stores, alta costura e gastronomia, turistas do mundo inteiro carregados de sacolas. A noite uma outra realidade se instala e sob as marquises das lojas dormem os miseráveis que vem pedir esmolas na ruas da cidade luz.

Nunca me permiti fotografa-los e as fotos acima foram tiradas do Flickr e exemplificam bem a presença dos sem teto em Paris.