A FIAC – Feira Internacional de Arte Contemporânea – ocupou o Grand Palais em Paris do dia 23 ao 26 de outubro. Este ano, para contrabalançar o ambiente tenso provocado pela tempestade financeira, a exposição se espalhou também por parques e jardins de Paris.

fiac10.jpg

No Tuileries eu presenciei a instalação de algumas obras. Enquanto estava com blusa e casaco de lã, os carinhas dentro da água de camiseta.

fiac7.jpg

Uma prisão de aço de seis metros de cada lado, onde Michelangelo Pistoletto escreveu estas palavras, Spazio Líbero.

fiac9.jpg

Uma instalação apetitosa. Uma vitrina de aço e vidro estilo século XIX onde o americano Mark Dion colocou bolos e gelatinas…em resina plástica.

fiac12.jpg

Uma obra que me divertiu pelo contraste estabelecido entre a escultura clássica de Caim que acabou de matar Abel e o obra de Leopold Hessler, uma máquina para limpar sapatos.

fiac3.jpg

A tragédia bíblica face o cotidiano prosaico.

fiac1.jpg

Uma obra de Dan Grahan, aço e vidro, toda em transparências. O Inhotim, o museu de arte contemporânea mais bonito do Brasil, possui uma obra deste artista americano.

fiac4.jpg

Para terminar uma obra do Atelier Van Lieshout, denominada Favela. Aqui eu chego no meu limite da percepção da obra de arte. Para mim este objeto é simplesmente uma denúncia social e com isto fica aberta a discussão do que é uma obra de arte.