reuters.jpg

Uma mulher pode se vestir com uma burqa e obter a nacionalidade francesa?

O Conselho do Estado Francês acabou de responder não. Para os especialistas do direito administrativo uma roupa que cubra a mulher da cabeça aos pés traduz uma falta de adesão aos valores republicanos. Uma mulher adepta de uma prática radical da sua religião se encontra em uma situação incompativel com os valores essenciais da comunidade francesa, principalmente com os princípios de igualdade entre os sexos.

É a primeira vez que a justiça francesa adota uma decisão como esta. Tudo começou da seguinte forma.

Madame M. nasceu no Marrocos em 1976. Em 2000 ela se casou com um francês e o casal se instalou na periferia de Paris. Em 2004 M. pediu a nacionalidade francesa e passou pelas entrevistas habituais. A conclusão dos entrevistadores é que M. vive dentro de uma situação de submissão total aos homens da sua família. Que para ela esta submissão é normal e que ela não tem conhecimento nenhum da laicidade e dos direitos das mulheres como, por exemplo, o direito de voto. Conclusão: ela não pode ser francesa.

Este caso ilustra que a legislação francesa deve regularmente se pronunciar sobre os conflitos entre o islam e a sociedade.

Quando vejo mulheres vestidas assim fico muito feliz de ter nascido no Brasil.