Rue Scribe – Hotel Scribe, um 5 estrelas histórico

Moro neste bairro e segui de perto as tranformações da rue Scribe (leiam aqui o primeiro artigo sobre esta rua). Acompanhei a instalação  das novas lojas e a transformação do Hotel Scribe que passou de um tradicional e empoeirado hotel a um dos poucos cinco estrelas de Paris.


Na minha reportagem sobre esta rua não poderia deixar de visitar este hotel que festeja, este ano, seus 150 anos.  Ele ocupa um belo prédio na esquina da rue Scribe e do boulevard des Capucines. A localização é perfeita: no centro da cidade entre a Opera Garnier, a Madeleine, a Galeria Lafayette. Perto do Louvre, do Palais Royal, da Concorde, do Jardin des Tuileries e da Place Vendôme.

Ele foi inteiramente reformado e decorado pelo famoso embaixador do gosto francês, Jacques Grange.

No térreo, eu gosto particularmente do seu Salão de Chá. Elegante espaço aberto das 12h às 20.30h onde costumo pedir uma salada ou um carpaccio (€18), um chá (€7) e pâtisseries (€8) ou simplesmente uma taça de vinho (€9).

 

O Restaurante Café Lumières é comandado pelo chefe Sébastien Crison. Além da carta tradicional, sugiro olharem o menu que muda de acordo com os produtos encontrados no mercado. Provei agora em junho, o “menu tomate” composto por uma entrada  (sopa de tomate gelada, espuma de queijo de cabra aromatizada com alecrim (€17)), prato principal (filé de atum fresco grelhado, carpaccio de tomates verdes (€26)), sobremesa (millefeuille e caramelo à la tomate (€8)).

Os quartos e suites seguem a linha geral do hotel: elegantes.

Para informações complementares, reservas online e os melhores preços garantidos, cliquem aqui: www.booking.com

Hotel Scribe – 1 rue Scribe 75009 Paris.

 

Publicidade

O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.

61 pitacos, participe desta conversa

  1. luciana disse:

    Estou na dúvida em qual dos quatro hotéis devo hospedar. Hotel Scribe, Hotel de Nell, Hotel Castille ou La Maison Champs Elysées. Vocês podem me ajuda? Considerando que ficarei no quarto mais simples dos hoteis acima.

    • Rodrigo Lavalle disse:

      Luciana, com relação à localização os hotéis Scribe e Castille ficam bem próximos. A região de ambos é bem central, segura, com muitas opções de restaurantes, bares e lojas.
      Abraços.

  2. Cristiane Pereira disse:

    Ei, Lina!
    Os 50 serão em novembro, mas do ano que vem.
    Em outubro próximo estarei conhecendo o outono de Paris, se Deus quiser!

  3. Cristiane Pereira/BH disse:

    Queridos Eymard, Beth, Sueli OVB, e, claro, Lina,
    estou super em dívida com todos vcs, porque depois de tantas perguntas e pedidos de conselho, entre abril e maio de 2011, e de tantas ótimas respostas e amáveis palavras que recebi, nem vim aqui falar mais nada. Mas não me esqueci de vcs, não. Pois cá estou para agradecer imensamente o apoio que me deram, quando vim buscar dicas para a viagem que faria com meus pais. Fizemos a viagem, tudo transcorreu muito bem, sem nenhum problema ou imprevisto. Vou tentar não me estender demais aqui, nesse “post-resposta”, mas vou comentar sobre o que ‘convseramos’. Ficamos no Sofitel Faubourg; a qualidade do hotel é o que se espera (nota 10), o atendimento é super-profissional e, ao mesmo tempo, atencioso e gentil na medida certa. A proximidade com o Palácio do Governo e a Embaixada Americana de fato restringem o acesso à rua Boissy d’Anglas e a circulação de pedestres, mas isso acaba sendo bom, pq deixa o quarteirão menos movimentado mas mais seguro, e ainda assim, perto do buchicho.
    Beth,
    jantamos no Vagenende no último dia (gosto de lugares conhecidos no último dia), meu pai adorou, e fomos atendidos por uma garçonete jovem, tão, mas tão sorridente e simpática,nunca vi nada igual! Estarei na cidade em outubro, quem sabe nossas temporadas coincidem? Quero voltar lá para ver como ficou depois da reforma e se a comida resistiu às mudanças.
    Sueli,
    não fizemos muitos passeios a pé, mas do pouco que andamos, descobrimos a Bread & Roses, de que eu não tinha indicação mas, depois, vi que é um lugar famosinho – não é baratinho, mas tudo é delicioso, o atendimento é bom, o ambiente é bonito e os frequentadores, cheios de charme. Tem uma na Boissy d’Anglas e outra em St Germain, na rue Madame. Vale a pena. Já anotei as suas dicas da região da Opera/Madeleine, é um pedaço que eu amo e conheço pouco; aliás, tentei o Le Vignon 8 para outubro, mas já estava cheio. Fica para uma próxima!
    Eymard,
    não fomos à Ópera (meu pai não se interessou), mas fizemos outros programas que meus pais adoraram: passeio a Giverny/jardins de Monet, jantar no Bateaux Parisiens, no Jules Verne, etc. Vou tentar fazer um relato à parte, algo como “viajando com os pais idosos”. São momentos muito especiais, permeados de emoção. Acho que todos os filhos que podem fazer isso, devem fazê-lo – uma viagem voltada para os pais, programada para eles. Oportunidades únicas de vivenciar emoções muito especiais.
    Lina,
    Meu coração continua enamorado do Scribe, e espero que esse namoro evolua para algo mais sério, num futuro não muito distante! Para esse ano não vai dar, mas ano que vem faço 50 – é uma boa ocasião, quem sabe a ideia vinga?!?
    Mais uma vez, obrigada a todos pela atenção, sugestões e palavras amigas! Vocês são ótimos, e o CP é isso, um “aproximador” de gente bacana, que se une em torno de uma grande paixão chamada Paris! :-)

  4. eymard disse:

    Cristiane Pereira/BH: relendo este post fiquei muito curioso para saber se voces viajaram. Se deu tudo certo. Conte como foi sua viagem. Gostaram do hotel? Foram a Opera?

  5. Sueli OVB disse:

    Ah, Cristiane, como poderíamos não ser generosos com pessoa tão educada e gentil como você?
    Nós aqui temos o maior prazer em colaborar com as pessoas e estaremos torcendo por vocês e aguardando notícias dessa linda viagem.
    Um grande abraço.

  6. Cristiane Pereira/BH disse:

    Sueli e Beth,
    mais uma vez, obrigada pelas palavras e dicas, sempre gentis e generosas.

    Sueli, estou mesmo sempre passeando em Paris pelo google maps – como Paris é um desejo permanente de destino, “fuço” tudo! Basta Lina dar uma dica aqui, e lá vou eu pro google maps pra ver onde é, como é a rua, a vizinhança, se já passei por ali por perto … faço ir pra ir me familiarizando! Aliás, faço assim com todas as cidades onde vou ou pretendo ir um dia! Já visitei todas onde estarei nesta viagem (vou antes à Itália). Farei contato, obrigada!

    Adorei a sugestão do Eymard para as Bodas de Fígaros (adoro Mozar) e logo depois que li, entrei no site. Falei com minha mãe mas ela ficou meio desanimada pq o espetáculo tem 3h40 (ou será que li errado?). Mas acho que é isso mesmo, são quatro atos. Confesso que até eu dei uma desanimada. É um programa e tanto, mas tem de estar muito a fim, né?

    Beth, quem sabe nos encontraremos em Paris numa outra oportunidade?
    Vocês são todos ótimos, é muito bom estar por aqui!
    Obrigada e um abraço a todos!

  7. Beth disse:

    Cristiane
    Tenho certeza de que sua viagem com seus pais será perfeita e inesquecível.
    Infelizmente não será desta vez que nos encontraremos no Vagenende (rs) pois só chegarei em outubro.
    Leve sua sobrinha sim, crianças também adoram Paris!
    Abs.

  8. Sueli OVB disse:

    Cristiane,
    Para se comunicar com qualquer um de nós basta pedir à Lina que envie seu endereço.
    De minha parte deixo aqui o meu e-mail, que vai escrito dessa forma segundo orientação de um amigo, substituindo a palavra arroba pelo símbolo corresponde: suvillasarrobahotmail.com
    Beijo

  9. Sueli OVB disse:

    Cristiane,
    Assim como o Eymard, eu tenho certeza que vocês farão uma linda viagem. Seus projetos estão ótimos e me sinto um pouco responsável pela sua decisão. Espero que corra tudo bem e que vocês não se decepcionem, embora eu ache que não haverá motivos para isso.
    A região da rue Boissy d’Anglas é extremamente agradável e atrações é o que não falta. Entre no google maps e “viaje” pela região.
    Subindo pela rue Boissy d’Anglas, passando pela Place de la Madeleine, subindo pela rue Tronchet ou Vignon, vocês chegarão ao Printemps, de cujo terraço se tem uma vista lindíssima de Paris. É um lugar aprazível, com banquinhos e uma lanchonete/restaurante, onde se pode passar bons momentos apreciando uma linda paisagem. A distância é de pouco mais de 1km do hotel, passando por diversos lugares agradáveis.
    O link para todas as informações sobre a programação das Opéra Garnier e Bastille estão nesse link: http://www.operadeparis.fr/cns11/live/onp/
    Se vocês resolverem de última hora ir a algum espetáculo, há um kiosque de vendas na Place de la Madeleine, que vende bilhetes a preços de ocasião. Mas se vocês preferirem comprar logo os ingressos e houver tempo hábil, inscreva-se no site da ópera e compre-os on-line, eles serão entregues em sua casa. Esse procedimento me deu um pouco de angústia, pois meus bilhetes demoraram a chegar e já estava se aproximando a data de minha viagem. Mas deu tudo certo.
    Também me coloco a seu dispor para esclarecimento de qualquer dúvida.
    Ano passado fiquei na região da Madeleine e gostei tanto que estou voltando para o mesmo lugar esse ano. Tem tudo o que você puder imaginar por perto. Se quiser, não precisa sair dali para nada.
    Grande beijo

  10. Cristiane Pereira/BH disse:

    Bem, o endereço não saiu, mas a Lina deve ter meu endereço, se for o caso. Abçs.

  11. Cristiane Pereira/BH disse:

    Eymard,

    obrigada pelo apoio – e pela dica! Deve ser mesmo um belo espetáculo – vou entrar no site da Opera National de Paris (é isso, acho, né?) e checar datas, horários, preços etc. E ver com meus pais se eles gostariam de assistir! E se vc ou mais alguém se lembrar de mais dicas, por favor me passem! Se quiserem me escrever diretamente, pode ser pelo endereço
    Um abraço a todos! :-)

  12. eymard disse:

    Cristiane, será uma bela viagem, um grande passeio. Nao sei se voces gostam; se seus pais gostariam de assistir. Mas nesse período, na Bastille, tera apresentaçao de uma Opera bem popular: as Bodas de Figaro. Ainda tem ingresso a venda pela internet.

  13. Cristiane Pereira/BH disse:

    Lina e amigos do Conexão,

    agradeço as dicas e opiniões de todos, sempre com palavras tão amáveis. Esse blog é mesmo muito especial, não apenas pelo conteúdo que reúne mas pelas pessoas que cá estão. “Gentileza gera gentileza”, dizia o profeta, certíssimo.
    Acho que vamos ficar mesmo no Sofitel Faubourg, apesar de meu coração ter se apegado demais ao Scribe – vamos evitar o marca-desmarca-remarca, economizando tempo e evitando contratempos. Mas pretendo visitar o Scribe, vê-lo de perto – quem sabe tomar um chá ou uma taça de vinho no bar?
    Beth,
    como disse Lina no primeiro guia, Paris é uma cidade para ser desfrutada em roteiros que podem ser de 4 dias… ou 40 anos. Espero poder continuar indo à cidade sempre, até ficar beeeem velhinha! Meus avós infelizmente não tiveram a oportunidade de conhecer a cidade. Mas eu pretendo, em breve, levar minha sobrinha-afilhada à cidade, para curtirmos juntas os encantos de Paris.
    Estaremos lá, eu e minha família, entre 4 e 12 de junho – se coincidir com o seu período, quem sabe marcamos algo? Será para mim, uma honra e uma imensa alegria!!!
    À bientôt!
    :-)

  14. Beth disse:

    Cristiane
    Paris é uma cidade que pode ser curtida por gerações, paixão de avós e netas… Herdei a paixão pela cidade da minha avó (e mãe!) e transmiti até para minha neta, risos. São 5 gerações de mulheres apaixonadas por Paris…
    O Vagenende é ótimo, não? Minha filha e neta também gostam muito do restô. Leva seu pai lá, já que sua mãe gostou tanto!
    Quando vcs vão viajar?
    De repente a gente se vê por lá…
    Bjs.

  15. Sueli OVB disse:

    CRISTIANE,
    Em nenhum momento eu teria dúvida em dizer a você para ficar no Scrib, apesar de não conhecer qualquer dos dois hotéis citados, só sugeri que o Sofitel seria mais bem localizado para seus pais, seguindo todas as suas indicações e levando em conta as limitações de seu pai.
    Não vejo qualquer inconveniente no fato do Sofitel ser próximo à Embaixada America, pelo contrário, a rua é super policiada, e tem uma circulação restrita, sem muita confusão, e fica muito próxima a lugares aprazíveis.
    Tem vários cafés por perto, na própria rua Boissy d’Anglas, na rue Royale e na Place de la Madeleine.
    Dar sugestões ou indicações para os outros é muito difícil, há sempre várias atenuantes envolvidas.
    Mas não se angustie, qualquer das duas escolhas será acertada, você verá.
    Boa sorte e uma linda viagem para vocês. Pelos planos, será fantástica.
    Dê mesmo retorno dessa viagem para a Lina, acho que daria um belo post.
    Abraço

  16. Cristiane Pereira/ BH disse:

    Sueli, Beth, Eymard e Lina,

    agradeço não apenas a atenção da resposta como a amabilidade das palavras. Levei uns dias pra responder pq meu computador doméstico teve um problema (acho que foi um vírus, argh…!), e do trabalho é mais difícil.

    Eymard,
    fiquei curiosa sobre os possíveis inconvenientes da vizinhança com a embaixada americana – seriam eventuais protestos, ruas fechadas, algo assim? Ou algo mais sério, como risco de manifestações mais, digamos, radicais? Queria saber se é algo significativo e que pode vir a mudar nossa escolha. Não se preocupe pq não sou de me impressionar com qquer coisa!

    Beth,
    imagino que delícia as viagens com sua avó! Conheci o George V em 2001, pois uma amiga estava hospedada lá – fomos ao bar duas ou três vezes para tomar um drink, muito bom!
    Pela recomendação do CP – e sua – eu e minha mãe fomos ao Vagenende duas vezes, no ano passado. Que lugar lindo, de comida boa e atendimento simpático – adoramos!

    Sueli,
    também gostei da região, e realmente me pareceu um pouco mais tranquila que o entorno da Opera. Foi uma das razões que me levou a escolher o Sofitel. Mas fico pensando se, pela tranquilidade, não seria pouco prático em alguns aspectos – por exemplo, será que tem algum café desses bons pra tomar café da manhã ou fazer um lance rápido? O café no Sofitel é 34 euros, meio salgadinho, não?

    Lina,
    meu coração bateu pelo Scribe desde que li os posts aqui no CP. Hotel com história é sempre tão charmoso…! E mesmo tendo optado pela tranquilidade (aparente) da rue Boissy d’Anglas, fico pensando se o Scribe e a região não têm mais personalidade, facilidades e atrativos do que o Sofitel (que é até um pouquinho mais barato do que o Scribe). Ó dúvida!
    Queria te adiantar que fiz contato com o Tom Pavesi, e vamos fazer uns programas com ele, que foi muito simpático no atendimento – me ligou para tratarmos diretamente e conversamos um tempão! Estou também fechando com a Fabiana, fotógrafa – minha mãe achou a proposta dela muito bacana. Visitei o blog dela e já estou ansiosa pela sessão de fotos!
    Você, como sempre, só nos passa dicas geniais! Ano passado fui a Reins e Epernay depois de ler o post aqui, e foi um passeio maravilhoso!

    Prometo contar a todos como foi minha viagem!

  17. Beth disse:

    Eymard
    Vc tem razão.
    A localização do Sofitel é muito perto da Embaixada americana, E durante a noite a região da Concorde é meio isolada…

  18. conexaoparis disse:

    Cristiane
    Os dois são bons hotéis.
    Os dois estão bem localizados e possuem várias opções de restaurantes e cafés por perto. Mas o Scribe tem também a história e a arquitetura.
    Eu pessoalmente ficaria no Scribe que foi reformado recentemente.

Próximos 20 comentários Aguarde, carregando novos comentários

Participe e deixe seu comentário

Seu comentário pode demorar alguns minutos para aparecer no blog.