Aquele almoço na cobertura do Palais de Tokyo

Publiquei um artigo sobre esta experiência incrível, almoçar em um restaurante efêmero instalado no teto do museu Palais de Tokyo. E não é que o Eduardo, do blog Da cachaça pro vinho, topou a parada!! Abaixo, texto e fotos do Eduardo.

É, consegui após uma tremenda batalha, reservar 4 lugares prum almoço no evento Home/Electrolux que acontece na cobertura do Palais de Tokyo. Pesquei esta dica aqui no Conexão Paris. Note que o pseudo-restaurante é uma caixa de vidro onde são servidos somente 12 pessoas (daí a dificuldade da reserva. Se você estiver indo pra lá e quiser aprender como se faz, me pede que eu ensino.)

E estes 4 lugares serviram prum encontro com os nossos amigos Marcie e Ciro que também estavam em Paris. Subimos uma escada um tanto quanto acabada, passamos por um jardim que deveria estar bonito no verão e chegamos ao topo do prédio.

Tudo muito frio, mas proporcionalmente lindo. Fomos escolhendo rapidamente os lugares e, obviamente, pegamos os melhores. Ficamos na ponta da mesa com toda Paris a nossos pés (e olhos)!.


Nos serviram um champagne Chandon, tiramos várias fotos, apreciamos todo o lugar e o serviço começou com um amuse bouche de foie gras, rabanete e flor de sal.

Nos sentamos, experimentamos um copo dum belo Bordeaux…

…e um creminho amanteigado, aveludado e quentinho caiu como uma luva com o frio reinante.

A entrada foi um steack tartare meio que desconstruído pois tinha a famosa carne crua cortada na ponta da faca, temperada com bastante cebola e o chef tropicalizou um pouco colocando erva-doce e abacaxi.

O prato principal foi peixe (não me perguntem qual era) com crosta de ervas e coco e escoltado por purês coloridos. Estava um primor.

Faltava a sobremesa que veio adoçar todo o almoço. Um belo tiramisu com peras em calda e a nossa tarde em Paris estaria completa.

Afinal de contas, não é todo dia que se tem uma bela comida, com uma bela companhia e ainda por cima, toda Paris ( La Tour incluso) aos seus olhos. Indélébile.


Publicidade

O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.

Veja Também

Cadeados do desamor

Evento em Paris: Nuit Blanche

Setembro: reveillon belga em Paris

112 pitacos, participe desta conversa

  1. […] instalado no teto do Palais de Tokyo -  e maravilhosamente descrito no Conexão Paris pelo Edu (clique aqui) – está aberto e funcionando de novo. Reserve este restaurante clicando […]

  2. [...] é uma dica da Dé e do Eduardo. Aqueles mesmos que toparam almoçar no teto do Palais de Tokio. O Eduardo é proprietário do excelente blog Da Cachaça pro Vinho. [...]

  3. HELIO JR disse:

    LINA E EDU,

    Estive no Nomiya hoje para o almoço. A primeira coisa que notei foi o abandono do Palais de Tokio. Porém, a má impressão inicial muda ao passamos pelo jardim sobre o qual o Edu comentou. Está outro! Verde e com tomatinhos a crescer nos vasos. O dia estava bom, com nuvens que se intensificaram só mais tarde. O serviço é muito simpático, mas a comida estava abaixo do correto, apesar da boa apresentação. Mesmo assim valeu muito a pena!

  4. Célia disse:

    errata: comentários, brincando.( pura emoção)

  5. Célia disse:

    Ah!!! O quê, lembrei hoje, ao ler os comentário, onde aprendo muito!!! Uma música que cantava, brincado de roda, quando menina: Je suis pauvre du Marais…du Marais…du Marais…etc!!! Que emoção!!! Voces são tudo de melhor!
    Abraços.

  6. Guga disse:

    É isso mesmo. Vou no final de junho para Paris com minha esposa e meu filho de 4 anos (fico até 9 de julho). E achei interessante a experiência gastronômica na cobertura do Palais de Tokyo.

    Tenho tentado reservar todos os dias, sem sucesso, pontualmente às 10h de Paris (5h de São Paulo).

    Realmente às 4h59 aparece: “Opening Soon”. E às 5h00: “Full”. Já tentei a dica do F5, mas não consegui nem ver o lugar disponível. Alguém tem alguma dica.

    Ah! Uma dica para aqueles que tentam marcar a reserva do Brasil: a reserva é liberada exatamente 30 dias antes. Ou seja, se o mês atual vai até 31, durma bem neste dia e tente no prómixo, pois ele será pulado.

    Se alguém tiver mais dicas sobre o assunto, por favor, publique aqui.

    Obrigado.

  7. Aninha disse:

    Lina,

    merci,merci pelas dicas dos vegetarianos!
    Beijoka serena

    Aninha

  8. eymard disse:

    Beth, eu tenho a impressao de que Guga se refere ao restaurante na cobertura do Palais de Tokyo.
    Se for, vou me adiantar: leia o post do eduluz sobre a experiencia deles no restaurante. Sao poucas pessoas. A dificuldade esta exatamente em conseguir reserva. Ele da a dica acerca das tentativas (entrar logo pela manha com exatos 30 dias da data que voce quer). Mas acho isso tudo bem complicado com uma criança de 4 anos. Tem tantos e bons restaurantes que voces podem ir sem tanta complicaçao!!!!

  9. Beth disse:

    Guga
    Vc esqueceu de dizer onde pretende fazer a reserva, e se para almoço ou jantar. Eu pessoalmente adoro crianças ultra-comportadas. São bem-vindas em qualquer lugar!
    Levei minha neta ultra-comportada para Paris recentemente e não tive nenhum problema!
    Abs.

  10. Guga disse:

    É possível fazer a reserva para um casal e uma criança ultra-comportada de 4 anos?

  11. Aninha disse:

    Lina, estou maravilhada com tantas dicas incríveis!
    Vc tem dicas de restaurantes vegetarianos em Paris ou restaurantes que tenham boas opções para quem é vegetariano? Meu sobrinho vem nos visitar em 10 dias e ele não come carne….
    Obrigada, mais uma vez obrigada, tenho descoberto maravilhas aqui!
    Bjs

    • conexaoparis disse:

      Aninha
      Vários restaurantes oferecem pratos vegetarianos:
      O Alcazar, o restaurante da loja Colette, o restaurante da loja Merci.
      Procure no blog por Colette, Merci e Alcazar que achará os endereços.

  12. Tatiana disse:

    Por favor, me de a dica em como fazer a reserva para este restaurante maravilhoso…

  13. [...] dada pela Lina no excelente blog Conexão Paris (inclusive, ela gentilmente publicou uma parte deste post por [...]

  14. Rômulo disse:

    Ola, e o principal…. qual o valor desse menu?
    Obrigado!

  15. disse:

    Magnífico!!! e a vista …. AS FOTOS NA MINHA OPINIÃO EXTREMAMENTE PÓÉTICAS
    beijinhos

  16. Paulo Henrique disse:

    Olá Maria Lima!!!
    Já faz quase um ano que conheço seu Blog e segui seu roteiro de 4 dias (em maio de 2009). SIMPLESMENTE PERFEITO!!! Mais uma vez, MUITO OBRIGADO pela atenção dada.

    E esse ano irei MAIS uma vez (me apaixonei por PARIS, culpa SUA! rsrsrs) agora com a minha mãe. Queria fazer uma surpresa a minha esposa e minha mãe. Poderia me ajudar com as reservas? (se quiser nos acompanhar… está convidadíssima)

    Bjos!

  17. HUGO disse:

    Olá RAFAELA

    O preço do restaurante no Palais de Tokio está num dos comentário acima. Creio que são 60 Euros para o Almoço e 80 para o jantar – vinhos incluídos.

    Como a sua política é de economizar e procurar bom custo/benefício (a minha também) veja a minha sugestão, logo acima, do restaurante LA TAVERNE DU SERGENT RECRUTEUR.

    Percebi que você gosta de um bom vinho. Aqui no CONEXÃO PARIS, encontrei um artigo da Lina, que recomenda uma loja de vinhos próxima à Gare Montparnasse, que me pareceu muita boa, a qual pretendo testar na próxima ida a Paris (La Cave à Millésimes – 180 rue Lecourbe 75015 Paris – Metro Vaugirard ou Commerce).

    Também aqui no Conexão Paris, você encontra alguns artigos da LINA, recomendando restaurantes testados por ela. Alguns têm bons preços, sempre indicados nos artigos da Lina. Outras dicas e indicações aparecem nos comentários dos frequentadores desse delicioso blog.

  18. rafaella disse:

    nossa realmente uma grnde experiencia. estou atualmente estudando na Beaux de Paris, e gastando o menos possivel com moradia pra gastar com aventuras gastronomicas e bons vinhos. Mas acredito que nem depois de tres meses de economia pagaria esse almoco.
    de todos os detalhes faltou o valor dessa brincadeira!!!

    valeuu

  19. conexaoparis disse:

    Hugo.
    Fica bravo não! Eu já me perdi no Bois e fui parar na área de prostituição. Isto tem muito tempo. Agora a situação anda controlada durante o dia.

  20. Sueli OVB disse:

    HUGO

    Isso não vai acontecer mais! As dicas que você anotou são infalíveis.

  21. HUGO disse:

    OK SUELI

    Tambem eu, sempre que possível, prefiro o metro a qualquer outro meio de transporte em Paris. Todavia, foi tentando chegar de metro ao Bagattelle que me perdi no Bois de Boulogne.

  22. Sueli OVB disse:

    HUGO

    Esqueci de dizer uma coisa. Até acho que seja um charme andar de ônibus, mas quando vejo o trânsito, prefiro tomar o metrô, é mais rápido, principalmente quando se vai para mais longe. Um dia irei de ônibus para o Bois e vou ver se vale a pena. De metrô é super simples, só um pouco mais longe, mas caminhar por alí é delicioso. Tem uma outra área do Bois que nunca fomos e que pretendo conhecer, que é o Jardin d’Acclimation, mas nunca sobra tempo.

  23. Sueli OVB disse:

    HUGO

    A experiência vai nos ensinando muitas coisas. A mais importante delas é não sermos precipitados. O senso de referência espacial vai sendo adquirido aos poucos. Hoje, fecho os olhos e sei exatamente o que devo fazer e por onde ir. Mas da primeira vez…
    Tenho medo de levar meu notebook em viagens, mas faço cópia dos mapas de cada região por onde vou andar e alí anoto tudo o que há para fazer. Só saio com a folha do dia. Tem dado certo e já não cometo absurdos, como o de sair à pé do museu Marmottan, até o Jardin de Bagatelle.
    Outra coisa que aprendemos é não fazer várias coisas ao mesmo tempo e com pressa. Não dá certo, nada fica inteiro. A gente aprende a “sorver”, em lugar de “só ver”as coisas. Se vocês ainda são jovens, pensem que ainda terão muitas oportunidades pela frente e que vale a pena viver intensamente cada situação. O tempo se encarrega de nos fornecer o tom e a medida certa de tudo. Siga o rítmo do coração e só acelere a emoção.

  24. HUGO disse:

    OLÁ SUELI,

    Devidamente anotada a sugestão de ir ao Bagattelle de metro.

    Agora levo meu notebook nas viagens e sempre consulto o Google Maps, antes de sair para locais que não conheço.

  25. Sueli OVB disse:

    Corrigindo: Redigir e não ridigir. Animação e não, nimação. Por favor!
    A tempo: Nas duas últimas vezes fomos a Bagatelle de metrô, descendo na estação Porte de Neuilly e seguindo pela rue de Longchamp, que depois muda de nome para Route de Sèvres à Neuilly, onde há uma entrada para o Jardin de Bagatelle. Essa região é uma delícia de se andar, um silêncio e uma paz incomparável. Sempre digo que gostaria de morar alí.

  26. Sueli OVB disse:

    HUGO E EYMARD

    Acabei de ridigir um enorme comentário para vocês dois e ele, assim como o da Lucia C, foi para o LIMBO.
    Vou resumir: Estou feliz com essa nimação de vocês pelo Jardin de Bagatelle. O lugar é realmente encantador e vale uma visita. Para mim e para o Jorge, os parques e jardins são tão importantes quanto qualquer museu ou monumento da cidade. Faz parte da nossa agenda e podemos dizer que conhecemos todos. O Jorge é tão apaixonado pelo Jardin de Bagatelle, que chega a dizer que ele é mais bonito que Giverny. E creiam-me, não é provocação, não, embora eu considere…
    Então, vou lançar-lhes um desafio: Qual dos dois jardins é mais bonito? Preciso de adesões. rss
    Nossa história com Bagatelle é muito antiga e a primeira vez que lá estivemos foi uma verdadeira epopéia. Não só não havia Lina, como a inexperiência do casal imperava. Atravessamos, literalmente, à pé o Bois de Boulogne, até encontrar a entrada do Bagatelle. Aprendi a ler mapa na marra e para mim era tudo logo alí. Foi hilário, a sorte é que o Bois é bem sinalizado.
    Nossa primeira experiência, muito longe de nos traumatizar, nos fez eternos apaixonados por aquele lugar.
    Hugo, sua esposa vai ficar encantada. Em junho há um concurso para eleger a mais bonita roseira e o lugar reservado a elas fica maravilhoso, embora em agosto/setembro estejam igualmente lindas. Procure um bom mapa onde tenha as indicações do Parc de Bagatelle, pois o lugar é muito grande e para os menos curiosos ele acaba passando batido. Há muito material na internet, com fotos e mapas muito bons.
    Boa sorte!

  27. Beth disse:

    Hugo
    Eu também estava em Paris no meio de toda aquela neve, risos. E continuou a nevar até meados de janeiro… Mas mesmo assim estava uma delícia! Não sei onde vc vai ficar em Paris, mas eu almocei várias vezes no Flora Danica no Champs Elysées, vale conferir. Almoço bem leve, uma delícia! Tem um salmon grelhado em cima de uma fatia de pão “escandinavo” acompanhado de salada que é sensacional! Também fiquei agradavelmente surpreendida com uma quiche com salada que almocei no velho e decantado Deux Magots, vê se pode. Já no jantar eu tirava a diferença, risos. Haja comer bem! Eu e minha família fizemos uma verdadeira “farra” gastronômica…
    Abraços.

  28. HUGO disse:

    OLA EYMARD,

    Fico satisfeito em saber que o problema não é apenas meu. O local é enorme, mas muito mal sinalizado. A indicação da Lina resolve o problema, pois é suficientemente precisa para se chegar lá. Para reforçar, podemos também usar o Google Maps.

  29. eymard disse:

    Hugo,
    tambem nao consegui chegar la. Mas, na epoca, ainda nao conhecia o conexao paris. Cheguei ate aqui ouvindo a dica do Lucas Mendes, no conexao Manhatan. Ate entao, eu me organizava para ir para Paris com outras referencias. Nada substitui o blog da Lina. Agora, eu tambem tenho que ir ate o Bagatelle na proxima viagem, sem falta. Sueli e o marido nao nos perdoariam se nao formos ate la.
    E agora que voce jogou o Jorge Fortunato na fogueira, ele tem que aparecer por aqui para contar isso.

  30. HUGO disse:

    Olá de novo LINA:

    Encontrei seus dois (ótimos) artigos sobre o Jardin de Bologne (sobre o parque e sobre o restaurante. Agora não tem erro: É só pegar o ônibus nº 43 e descer na penúltima parada.

    Você riu porque eu me perdi feito um caipira, mas veja o comentário que encontrei no seu artigo:

    2 Comentários, Comentar ou Ping

    1. jorge fortunato

    Cheguei próximo ao parc e confundi a entrada, aí foi um total engano e me perdi naquela imensidão do Bois de Boulogne. Foi divertido, apesar de tudo.

    E agora, o que você me diz ? ehehehe
    Abraço
    Hugo

  31. HUGO disse:

    Olá Lina,

    Não me lembro bem, já tem muito tempo.

    Ao que me recordo, tomei como referência o Bois de Bologne, que é muito grande e não atentei que a atração era Jardin de Bagattelle e não o bosque em si.

    Dessa vez, não errarei. Se sentir dificuldade, peço-lhe socorro pela internet eheheh

    OLÁ BETH

    Acho que a sua dica venceu e me convenceu. Melhor sair para Giverny depois de um café da manhã reforçado e retornar para jantar em Paris. É isso que farei.

    Como retribuição pelas boas dicas que sempre encontro no Conexão Paris, quero também dar uma dica, com base na minha experiência:

    Em dezembro, durante aquela nevasca às vésperas do Natal, jantamos no LA TAVERNE DU SERGENT RECRUTEUR. É uma antiga taberna rústica, onde em épocas passadas jovens bêbados eram recrutados “na marra” para o Exército. O preço não é barato mas também não é exagerado (O preço é fixo em 40,50 Euros p/pessoa e inclui entradas, 1 prato principal, 1 sobremesa e vinho à vontade.) O vinho é “da casa”, porém de boa qualidade; a entrada e os queijos são ótimos. O que menos se destaca é o prato principal. O ambiente e o atendimento são um charme.
    Naquele frio danado de dezembro, ficamos lá até a madrugada, sempre muito bem atendidos. Recomendo com convicção (creio que a Lina já falou nesse restaurante).

    Tél. 01 43 54 75 42
    Mob. 06 07 74 93 03
    Fax. 01 44 07 02 58

    ILE SAINT-LOUIS
    41, rue Saint Louis en l’Ile
    75004 PARIS
    Confira o cardápio no site do restaurante; é tentador:
    http://www.lesergentrecruteur.com/

  32. conexaoparis disse:

    HUGO

    COMO ASSIM?Risos.
    Eu explico passo a passo como chegar no Bagatelle. Foi um dos meus primeiros artigos.

  33. HUGO disse:

    Olá Sueli – novamente

    EM TEMPO
    Pensando bem e considerando que estaremos em Paris no mês de junho, acho que colocaremos uma visita ao Jardin de Bagattelle como prioridade.
    Isso porque junho é um mês de muitas flores e minha mulher tem paixão por jardins. Então, serão dois presentes para ela: Giverny e Bagattelle.

  34. HUGO disse:

    Olá Sueli,

    Não deixarei de ir a Giverny nesta próxima viagem.

    Quanto ao restaurante no Jardin de Bagattelle, é uma dica a considerar. Entretanto, confesso que, uma vez, tentei visitar o Jardin de Bagattelle no Bois de Boulogne. Caminhei muito, me perdi e não achei o Jardin ??? Claro que devo ter feito alguma bobagem, para não encontrar um lugar tão conhecido.

    Sua dica ficará anotada. Na próxima viagem, provavelmente não haverá tempo para ir ao Bois de Bolgne, mas talvez vá uma segunda vez a Paris neste ano. Aí toparei o desafio novamente.
    Esse restaurante é caro ?
    Abraço

  35. Sueli OVB disse:

    HUGO

    Concordo com você. Só fui a Giverny depois da minha segunda ida a Paris e todas as vezes que tenho que sair da cidade fico com sentimento de culpa. Menos um dia… Mas pense em todas as outras vezes que poderá voltar e curta até o que não puder fazer.
    Sempre que estamos em Paris vamos ao Jardin de Bagattelle no Bois de Boulogne e almoçamos no retaurante Bagattelle, que não tem nada de extraordinário, a não ser nossa paixão pelo lugar e a alegria que sentimos todas as vezes que estamos alí. Então, achamos tudo ótimo, até o que não é… Já comemorei até um aniversário por lá. E foi disso que eu falei, do envolvimento, acima da comida.
    E não se iluda que vá fazer uma bela refeição em Giverny. Mas que vai achar tudo maravilhoso, vai. E quem sabe a comida até fica boa?
    Abraço

  36. Beth disse:

    Hugo
    Giverny é um lugar muito pequenininho e voltado para um público específico de turistas de todo o mundo. Definitivamente não é um lugar para comer bem. O melhor a fazer é se contentar com um almoço mais frugal e guardar a disposição (e Euros) para um belo jantar em Paris…
    Eu pessoalmente sou daquelas que em Paris (e outros lugares) prefiro um almoço mais leve como preparação para “aquele” jantar inesquecível!
    Espero ter ajudado.

  37. HUGO disse:

    Olá Suely ; Olá Sheila; Olá Lina

    Valeram todas as informações.
    Também é importante ouvir a opinião de quem não gostou de um restaurante. Veja Suely, é verdade que conhecer Giverny, conhecer as raízes de Claude Monet é mais importante que comer. Mas, para conhecer Giverny, teremos de “perder” um dia de Paris, dentre os poucos que ficaremos nesta próxima viagem. Então, conciliar os jardins de Monet com uma refeição boa e agradável e, sobretudo, com um bom vinho – nada mau.
    Por isso, prezo e agradeço as informações de quem já esteve lá, inclusive as “negativas”, que nos evitam cair em armadilhas “caça turistas”.
    Então, agradeço a todas minhas “amigas virtuais” por suas preciosas informações.
    Um grande abraço
    Hugo.

  38. HELIO JR disse:

    Olá a todos,

    Só para constar. Ontem a noite entrei no site indicado e simulei a reverva de almoço no aquário de Tókio. Consegui de primeira. Tentei novamente hoje e também consegui, só que na terceira tentativa… Tentarei de novo, só que pra valer, um mês antes da minha viagem. Espero que ele ainda esteja por lá!

  39. conexaoparis disse:

    Mara
    Leia os dois artigos. O acima e o outro que está linkado neste acima. Você tem que entrar no site da empresa que organiza este evento e se increver. Leia o artigo com atenção e todos os comentários acima.

  40. conexaoparis disse:

    Eymard e Zé Ricardo
    Isto mesmo. Antes colocaram no teto do museu um quarto com banheiro e vista direta para a torre. Os clientes tinham direita a café da manha servido em bandeja.

  41. conexaoparis disse:

    Lucia C.
    Já recuperada?

  42. Maria Teixeira disse:

    Lina, Muito Obrigada pela dica!

    Rejane, agradeço se puder me passar alguma dica sobre esse curso!
    Se puder, passe para meu e-mail: maria@martur.com.vr

    Grata,
    Maria Teixeira

  43. ze ricardo disse:

    Obrigado, EYMARD.

  44. Beth disse:

    LuciaC
    Que pena!
    Eu adoro seus comentários…
    Bjs.

  45. Mireile disse:

    LUCIAC

    Valeu a intenção!
    Bjs

  46. Eymard disse:

    Zé Ricardo,

    já foi um hotel itinerente (no seu início) — você não estava errado. Depois transformado em restaurante efêmero!!! Tudo se transforma….

  47. ze ricardo disse:

    Passei na frente e achei que era um hotel etinerante que um dia vi na revista, mas não era… tambem se soubesse não teria cacife para tanto.. abraço.

  48. ze ricardo disse:

    Se inveja matasse…. ja tinha morrido uns 100 (inclusive eu kkkk)

  49. Sueli OVB disse:

    LUCIA C

    Querida, você é sempre tão elegante e gentil, que até sabemos, muito bem, a delícia de comentário que nos preparou!
    Ficar triste faz parte. Acontece, já aconteceu comigo.
    Meu carinho.

Próximos 50 comentários Aguarde, carregando novos comentários

Participe e deixe seu comentário

Seu comentário pode demorar alguns minutos para aparecer no blog.