Plano de saúde para brasileiros que estudam ou trabalham na França

foto: Telefilme – Equipe Médicale d’Urgence

Publico, na íntegra, o email que recebi de Taís, brasileira, estudante e residente em Paris.

Sou leitora do seu blog e decidi te mandar esse e-mail porque sei que você tem
muitos leitores e achei que era legal dar um alerta para os brasileiros que vem
estudar ou trabalhar aqui na França somente com um seguro de saúde internacional.

Eu sou brasileira e estou aqui em Paris com meu marido ha dois meses e meio.

Ele esta aqui como pesquisador e eu tenho o visto de estudante. Vamos ficar até setembro. Antes de sair do Brasil fizemos um seguro de saúde para cobrir emergências – o Assist Card - e a gente acabou tendo uma grande dor de cabeça quando descobrimos que esse seguro não cobre muitas urgências.


Eu estava grávida de 2 meses e perdi o bebê ja faz uns 20 dias. Sofremos muito
com a perda, mas agora ja esta tudo bem. Mas estamos tendo muitos problemas com
nosso seguro de saúde que não quer pagar nenhuma despesa de emergência
relativa ao aborto. O seguro disse que não vai cobrir as nossas despesas no
hospital, incluindo a hospitalização no dia do aborto (que foi uma
emergência, porque foi um aborto espontâneo, com hemorragia). Eles alegam que
não cobrem nada relacionado com a gravidez.
Fiquei sabendo que outra pesquisadora brasileira teve que ir para o hospital por causa de uma pedra no rim. O seguro dela – o WorldPlus -  também não vai pagar os custos porque trata-se de uma doença pré-existente, mesmo que ela tenha tido a pedra no rim pela primeira vez aqui na França.
Escrevi no meu blog sobre o que acontenceu, incluindo outros problemas que
tivemos, o link é:

http://taisemparis.wordpress.com

Descobrimos aqui na França que existem muitas opções para fugir destes planos. Desde que o estudante, pesquisador ou trabalhador fique tempo suficiente na França para pedir o titulo de sejour.

Se ele for  menor de 26 anos é so entrar na mutualité. Tendo mais que isso, depedendo da renda a mutualité ainda sera vantajosa ou então pode fazer um plano de saúde francês. A  Fundação Kastler oferece um a preço acessivel para pesquisadores. Mas existem outros.
Bom, era isso. Se vc puder divulgar, fico feliz;
Obrigada,
Tais

Publicidade

O conteúdo deste post foi decidido pela equipe editorial do Conexão Paris, tendo como critério a relevância do assunto para nossos leitores, não havendo nenhum vínculo comercial com qualquer empresa ou serviço citado no texto. Não recebemos qualquer tipo de remuneração pela escrita e publicação deste texto. Conheça a política de remuneração do Conexão Paris.

Veja Também

O andar democrático das Galeries Lafayette

We are Tiramisù – a primeira casa especializada em tiramissu de Paris

Visita guiada aos bastidores do Stade de France

26 pitacos, participe desta conversa

  1. Valonia disse:

    Eu estou indo para a França e gostaria de sabe o que é necessário de documentação e plano de saúde desde já agradeço

  2. Juliana disse:

    Todas as vezes que viajei fiz o seguro pela Mondial. Nunca precisei usar (graças a Deus!), mas é o mesmo que meus sogros usam há anos, e nunca tiveram problema algum. O procedimento pela internet é muito simples e rápido, então eu recomendo muito!

  3. Bernardo disse:

    Eu tb tive problemas com a World Plus, no mesmo plano Union Euro Plus.
    Precisei de atendimento (na Alemanha) e liguei para eles durante uns 3 ou 4 dias seguidos. Em todas as ligações, eles diziam que em 24 horas entrariam em contato por telefone ou por email, com alguma indicação de clínica ou hospital para o meu caso. Se eles tivessem cumprido com o que prometeram, eu não precisaria ligar novamente durante uns 4 dias seguidos para ter alguma ”luz”. E o pior, apesar de ter ligado a cobrar pela Embratel, estou sendo cobrado pelas ligações. Esse problema já não é com eles (imagino eu), agora, eu não seria cobrado em tantas ligações se eles não me deixassem sem resposta por tanto tempo. Só me responderam aproximadamente 1 semana depois, com um breve email dizendo que não haviam encontrado lugar nenhum. ”Grande ajuda”! O pior de tudo, é que agora que aguardo o reembolso a mais de 1 mês pelo serviço que eu tive q correr atrás, o site está fora do ar e não atendem o telefone. Falei com o porteiro do prédio em que eles trabalham e me parece que fecharam as portas. Ah, e ainda teve mais um detalhe… me cobraram em dobro! Ou seja, só problemas com essa ”empresa”.

  4. Maria Betânia van Diest disse:

    Olá, estou na Holanda e antes de vir pra cá fiz o seguro da Worls Plus – plano Union Euro Plus. Gente, não façam seguro por esta operadora. Eles são uns ladrões. Me roubaram! Precisei de aendimento urgente aqui, torci meu tornozelo e não tive nenhuma assistência. A começar na entrada do país quando no aeroporto os oficiais não reconheceram o certificado e foi necessário meu marido me retirar do escritório da Imigração. Desconfiei que tinha perdido meus 360,00 reais neste momento. Gente, quem já teve problema com essa operadora precisa denunciar, eles são realmente ‘terríveis’! O atendimento é péssimo e se vc ligar para o telefone de atendimento 24 horas, que é um celular, eles jamais atendem. Emprezinha de fundo de quintal mesmo!!! Não façam este seguro se quiserem ter paz em sua viagem!!!

  5. Elisandreia disse:

    Depois de ler tudo isso, a única pergunta que faço é: “qual contratar?”
    Fiquei realmente com receio das empresas aqui citadas, e queria saber se alguem tem alguma empresa realmente séria para indicar.

  6. Beth disse:

    Marcella
    Vc tem que pedir uma cópia do seguro saúde e examinar cuidadosamente, além de consultar um especialista.
    Abs.

  7. Marcella disse:

    Oi Lina e pessoal do blog,
    vou como estudante de um Master, de uma escola privada. Junto com minha carta de admissão ganhei o direiro a um seguro saude. Ainda não sei detalhes. Além disso, sou cidaddã européis. Como funciona essa cobertura/ Alguém sabe me dizer quais os meus direiros?
    Obrifada,
    Marcella

    • conexaoparis disse:

      Marcella
      Te aconselho ler o contrato do seu seguro. Somente ele poderá te informar como será reembolsada, até quanto poderá gastar, o que cobre…

  8. Patty disse:

    OLÁ!! EU ESTAVA VISITANDO ALGUNS BLOGS COMO SEMPRE, PROCURANDO NOVIDADES E DICAS PARA A MINHA VIAGEM A FRANÇA QUANDO ME DEPAREI COM ESTA POSTAGEM…
    E RESOLVI FALAR UM POUQUINHO DA MINHA EXPERIÊNCIA. SOU NETA DE ALEMÃO, ENTÃO TENHO FORTES LAÇOS COM A EUROPA, GOSTARIA DE PODER VIAJAR ELA INTEIRINHA!! MAS VOLTANDO AO ASSUNTO, EM MINHA ULTIMA VIAGEM (SUÍÇA) EU PRECISEI USAR O SEGURO VIAGEM, AO CONTRÁRIO DA MENINA AÍ, EU FUI MUITO BEM ETENDIDA, MAS ISSO TEM UM MOTIVO!
    EU LI ATENTAMENTE AS CODIÇÕES GERAIS DO MEU SEGURO (QUE TB ERA ESSE WORLD PLUS), NAS CONDIÇÕES GERAIS (QUE DEVE TER EM TODOS OS SEGUROS) CONTA TUDOOO O QUE O SEGURO COBRE E NÃO COBRE, MINHA AGENTE DE VIAGENS SEMPRE EXPLICA TUDO CERTINHO TB, ALÉM DAS CONDIÇÕES. MEU PROBLEMA FOI PARECIDO COM O DA SEGUNDA MENINA, PEDRA NA VISÍCULA, ENQUADRANDO-SE COMO UMA DOENÇA PRE EXISTENTE, MAS EU ACHO QUE TEM ALGUMA COISA ERRADA AÍ, POIS O MEU SEGURO WORLD PLUS COBRE ESSA DOENÇA PRÉ-EXISTENTE…
    MAS POR FIM, O PONTO EM QUE EU QUERIA CHEGAR É QUE VALE SIM, -E MUITO – TER UM SEGURO VIAGEM, MAS TEMOS QUE ESTAR SIM ATENTOS AO QUE ESTAMOS COMPRANDO, LER AS CONDIÇÕES GERAIS COMO LÊ-SE A BULA DE UM REMÉDIO, POIS TRATA-SE DA SUA SAÚDE.. E MAIS AINDA, ESSE SEGURO QUE USEI COBRE MAIS UM MONTE DE COISAS…
    FICA A DICA TB DE COMPRAR O SEGURO DE PESSOAS INFORMADAS, E QUE SAIBAM EXPLICAR DIREITINHO A “BULA” PARA VCS.
    ESPERO TER AJUDADO!

    BEIJOS PATTY

  9. Gabriel disse:

    Obrigado Arthur!
    Acho melhor contratar um seguro privado mais conhecido mesmo!
    Abraço

  10. Jo disse:

    Olá!

    tenho acompanhado como tradutora dois estudantes que possuem o seguro WorldPlus.
    Depois de um acidente, nao fatal graças a Deus, onde um carro tentando avançar o sinal quase lhe arranca o braço, deu polícia e tudo mais exigindo perícia e o seguro simplesmente mandou a conta do hospital para o estudante, pois afinal nao houve nenhum ferimento.
    A exigência de perícia, o estado de choque do estudante nao consta como necessidade de ir ao hospital.
    Antes de fechar um seguro viagem com WorldPlus é melhor exigir umas mudanças!

  11. Arthur disse:

    Oi Gabriel, sou o marido da Taís, não sei te informar se a sécurile sociale tem algum mecanismo para cobrir eventualidades nos outros países europeus. O que eu sei te informar é que a Taís comentou que os colegas europeus dela no curso de francês que ela faz não são tem acesso a carte vitale aqui na França. Mesmo uma médica alemã que está grávida, que esta fazendo estágio aqui em Paris está pagando do próprio bolso todo o pré-natal. Ou seja, a impressão que tenho é que se existe essa opção de secularidades sociais de um país europeu cobrirem em outro, essas regras são bem escondidas, pois nem os alemães, italianos e espanhóis com quem a Taís conversa estão cobertos aqui.

    Uma dica que te dou é entrar na lista de e-mails da apeb-fr (busca no google que vc acha :) ) e perguntar lá. Esta lista tem vários brasileiros que moram ou moraram aqui, e que podem saber de algum mecanismo que eu ainda não descobri.

  12. Gabriel disse:

    Fiquei assuatado com isso!
    Estou indo a Paris em setembro para estudar por seis meses e preciso contratar um seguro que cubra eventuais despesas fora da França tb pq vou viajar pela Europa. Alguem saberia dizer se é verdade que existe a possibilidade de pagar a Sécurité Sociale e pagar uma taxa mais para cobrir-se as despesas na Europa? Ouvi falar q existe isso? Alguma sugestao?? Obrigado.

  13. Odaleia disse:

    Infelizmente, parece que a tônica é mesmo essa: não cobrir. Urgência e emergência acabam sendo conceitos maleáveis e um procedimento facilmente deixa de ser enquadrado nessa categoria. Uma amiga teve uma história de negativa de cobertura pela Assist-card – que felizmente foi contornada no final. Ela apresentou dor de dente numa viagem pela América do Sul e precisou realizar uma abertura coronária – procedimento de urgência em Odontologia, mas que também representa o início de uma endodontia (vulgo tratamento de canal). O seguro insistia em classificar o procedimento como endodontia – não cobrindo o procedimento. Após inúmeras intervenções da clínica onde o atendimento estava sendo prestado e também de uma amiga dentista q estava na viagem, o seguro cedeu. O que salta aos olhos nessa história toda é que uma pessoa “leiga” fatalmente ficaria sem cobertura, mesmo tendo direito contratual à intervenção. É um cenário realmente assustador.

  14. conexaoparis disse:

    Gisele
    publico amanhã duas dicas para o 14 de julho.

  15. Gisele Tau disse:

    Tais,
    Vc e muito fofa. Obrigada pelo alerta. Espero que vc ja esteja Ok
    Lina, estarei chegando em julho tou louca pra ver a parada do dia 14, alguma dica?
    bjs

  16. Andreia disse:

    Que terrível isso.
    Farei um da Mafre, mas não tenho ideia se é assim também.
    Abraço!

  17. Marilia Pierre disse:

    infelizmente também tive problemas com o seguro saúde, o contratado também foi o world plus.
    Minha tia sofreu uma queda, torceu o tornozelo e bateu o joelho, a bacia e o ombro no chão.
    Depois de muitos telefonemas e quatro horas de desencontros, o seguro simplesmente mandou a gente pegar um taxi e seguir para o hospital x.
    Nos mandaram para um hospital pediátrico.
    O taxista viu o nosso desencontro, nosso desespero, e nossa desorientação e nos levou para um hospital da rede pública de saúde.
    Nós não falamos francês, não passamos além do bonjour, mas houve um grande esforço das atendentes e enfermeiras para adivinhar o que se passava.
    Minha tia foi atendida e medicada, não pelos esforços da empresa.

  18. Patricia Duarte Simões Pires disse:

    De fundamental importância estas informações e nunca pensei em verificar nas clausulas do seguro as emergências….
    Obrigada Lina pela divulgação

  19. [...] “Dois post-it(s)” ou “Pequenos Avisos Importantes” Ir aos comentários 1) A Lina, do Conexão Paris, um blog de referência para quem quer dicas da cidade-luz, publicou o meu e-mail contando minha saga com nosso plano de saúde aqui. [...]

  20. Tais disse:

    Oi Lina,
    Obrigada por ter publicado meu e-mail.
    Beijos,
    tais

  21. Adriana disse:

    Esclarecedor este post, Lina.
    Não sabia que estes seguros, que normalmente fazemos ao viajar, não cobrem certas despesas. Estou assustada, pois meu marido já teve ocorrências de cólica renal, meus irmãos também…Inclusive um deles, está indo a Paris em outubro.
    Vou passar esta informação agora para ele.

  22. Michelly disse:

    só corrigindo, o social paga 70% dos valores, inclusive medicamentos. Eu que pago os 30% restantes.

  23. Michelly disse:

    Que história triste a da Taís, e lamentável a história do seguro. Eu estou em Paris desde dezembro e tenho tanto o seguro internacional em caso de acidentes – o Avis – e o seguro da rede social da França. Como sabia que o Avis só cobria casos de acidentes e doeças que não eram pre-existentes tb fiz o seguro social ao chegar pq já tinha hipotireodismo no Brasil e preciso me consultar regularmente. Já utilizei os dois seguros e não posso reclamar de nenhum pois foram super eficientes para o que eu esperava deles, inclusive na devolução do dinheiro da consulta, exames e medicamentos. No meu caso, pelo o menos, já utilizei praticamente todo o dinheiro que havia gasto com isso. No caso da AVIS, para 9 meses paguei aprox. 350 euros.
    Aliás, vale lembrar para muitas pessoas que não fazem seguro e nem sabem a existência da necessidade dele para entrar no país, que eles são imprescindíveis aqui. Acidentes acontecem e pode-se economizar, e muito, em caso de necessidades. Sugiro que pesquisem os varidos que existem e leiam bem o que cobre e o que não cobre. No meu caso valeu a pena os dois, pois o AVIS cobre completamente em caso de acidente e o o social paga cerca de 30% da consulta e exames.
    um abraço.

  24. cristiane disse:

    Taís,

    muito obrigada pelas informações. Era disso mesmo o que eu estava precisando no momento.

Participe e deixe seu comentário

Seu comentário pode demorar alguns minutos para aparecer no blog.